Salamanca 21/22 maio - IV ENCONTRO DE REITORES
  • BR

Novas tecnologias no Ensino Universitário

O advento das novas tecnologias nas universidades e no ensino está modificando os paradigmas do aprendizado.

• As novas tecnologias desempenham um papel essencial nos processos de ensino-aprendizado. Permitem uma nova flexibilidade e a capacidade de aplicar o conhecimento em todos os tipos de dispositivos.

• O e-learning está no auge há alguns anos. Cada vez mais, os cursos de graduação, mestrados e especializações on-line contam um maior número de alunos, de acordo com o relatório mais recente “Universitic” da CRUE.

• Na Espanha, 76% das universidades contam com canais digitais.



O sistema universitário encontra-se em plena fase de mudança e os estudantes devem desenvolver suas habilidades digitais para sua futura empregabilidade e adaptação a um ambiente tecnológico em constante mudança.

As tecnologias móveis adquiriram protagonismo em um aprendizado on-line cada vez mais participativo e colaborativo. Computadores e notebooks deram lugar a tablets, telefones e, inclusive, relógios inteligentes que superam os formatos de texto e dão suporte a uma formação mais tátil e visual, dotada de um crescente volume de apps e recursos educativos para todos os tipos de dispositivos.

As universidades deram um passo que transcende o campus virtual, reagindo às novas demandas e realidades com um exercício na adaptação dos conteúdos, entre os quais se destaca o desenvolvimento exponencial alcançado pelos vídeos nos últimos anos com a generalização dos celulares.

• Assim, 86% das 61 instituições incluídas no relatório mais recente “Universitic” da Conferência de Reitores das Universidades Espanholas (CRUE) asseguram que dispõem de espaços para gravação de recursos multimídia,

• outros 76% contam com canais digitais como Youtube ou iTunes,

• e 67% preocupam-se com a adaptação aos novos dispositivos.

A formação on-line tornou-se, progressivamente, mais digital e rica em recursos, de forma que vídeos, textos, áudios e outras formas de conteúdo configuram um repertório de materiais complementares e disponíveis em diferentes meios e formatos que incluem, entre outros:

• animações,

• simulações,

• conferências,

• tutoriais,

• slides,

• gravações de áudio,

• mapas ou cronogramas,

• etc.,

como destaca o relatório mais recente sobre e-learning da Online Business School (OBS).

Mesmo assim, há um longo caminho a percorrer. De acordo com uma pesquisa realizada pela agência especializada IPSOS, da qual participaram mais de 9.000 universitários de 19 países e que faz parte dos preparativos do IV Encontro Internacional de Reitores Universia, a grande maioria dos entrevistados opina que a modalidade de ensino futuro na qual as universidades deveriam apostar é a mista.

A partir dessa pesquisa, conclui-se que 81% dos estudantes universitários entrevistados estão cursando seus estudos na modalidade exclusivamente presencial, embora aproximadamente a metade optaria por uma modalidade mista se começassem novamente.



Modelos avançados de Realidade Aumentada e Machine Learning

Após o advento da formação on-line, surge o Machine Learning (aprendizado mediante o suporte automático das máquinas). A entrada em cena de robôs, chatbots (programas capazes de simular conversas) e outros engenhos derivados da Inteligência Artificial representará uma nova transformação do aprendizado.

Os centros de formação começam a explorar as possibilidades da Realidade Aumentada e do machine learning para melhorar a atenção que os estudantes recebem e conseguir uma maior personalização do aprendizado. Por exemplo, suporte digital para a eliminação das barreiras em todos os tipos de estudos, incluindo os mais técnicos, nos quais laboratórios virtuais e simuladores funcionam como os espaços físicos tradicionais.

Grandes desafios na Transformação Digital que oferecem vários oportunidades e que serão os protagonistas nas universidades nos próximos anos.